O vice-governador de Minas Gerais, Paulo Brant, recebeu nesta quinta-feira (28/3), na Cidade Administrativa, prefeitas de diversas regiões do estado. Aproveitando a comemoração do mês da mulher, o encontro teve como objetivo estreitar as relações entre os Executivos estadual e municipal e debater a situação do governo e a administração nas cidades mineiras.

Em discurso, Paulo Brant destacou o papel da mulher na política e como as prefeitas, com seu olhar e perspectivas diferenciadas, podem ajudar o Estado a retomar o crescimento. O vice-governador ressaltou também o planejamento do governo para melhorar a gestão e, consequentemente, os serviços prestados à população.

“Estamos tentando sanar, dentro do possível. O nosso governo está tentando, com uma agenda fundamental de austeridade e de equilíbrio fiscal. Temos várias ideias nas áreas de Educação, Saúde, Saneamento, Desenvolvimento Econômico”, afirmou.

Brant ainda reforçou o compromisso da gestão do governador Romeu Zema em trabalhar para atender os anseios da população. “A sociedade brasileira deu sinal de basta na corrupção e no uso indevido e não republicano do dinheiro público. Estamos fazendo o possível no governo, cortando gastos e tentando, com todos os meios possíveis, encontrar uma maneira de obter recursos para pagar em dia os compromissos com as prefeituras, servidores e fornecedores, e não perder a credibilidade. Tenho absoluta convicção que vamos conseguir. O projeto do governo é bom e a perspectiva é boa”, finalizou o vice-governador, que concedeu entrevista à imprensa.

O vice-governador participou do encontro ao lado de mulheres que estão à frente de órgãos no Estado, entre elas a secretária de Estado de Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Ana Valentini, e a ouvidora-geral do Estado, Simone Deoud.

Ana Valentini é a primeira mulher a assumir o setor em Minas e destacou a relevância dessa decisão: “Quando vemos mulheres a frente de cargos, percebemos que as vitórias foram muitas. Garanto a vocês que teremos um contato mais próximo. Acredito que desenvolver a agricultura é o caminho para resolver problemas regionais e desigualdades”.

Já Simone Deoud destacou a necessidade de o Estado ter o apoio das prefeitas. “Minas são muitas e a presença das mulheres em cada uma dessas Minas é fundamental. São as mulheres que fazem a diferença em momentos de desafios. O governo conta com o apoio e a parceria de todas vocês”, pontuou.

Gestoras

Prefeita de São João do Paraíso, no Norte de Minas, Mônica Mendes pontuou a importância de os municípios receberem em dia seus recursos. “2018 foi um ano muito difícil quanto ao problema dos repasses de recursos. Quero agradecer o governador Zema e ao vice-governador por estar repassando em dia os recursos do Fundeb (Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica), pois antes era um sofrimento pagar a folha da Educação. Já vimos efeitos positivos do governador Zema. Já houve uma melhora nesses poucos meses em que ele assumiu”, disse.

Já a prefeita de Bocaiuva, também no Norte de Minas, Marisa de Souza Alves, ressaltou que, assim como os municípios já fizeram cortes na gestão, espera que o governo também reduza as despesas para voltar a ter as contas em dia.

“Somos apenas 7,27% de prefeitas mulheres nos 853 municípios de Minas. Nosso cenário político-administrativo nos causa preocupação. Nós temos interesse em contribuir para que o governo encontre saídas para a situação financeira atual”, completou.

Fotografia: Gil Leonardi/Imprensa MG

Enviar para impressão