BELO HORIZONTE (31/5/2019) – Um trabalho de gestão compartilhada, em Conceição do Mato Dentro, na região Central do estado, tem rendido bons frutos para a cadeia produtiva do queijo Minas artesanal do Serro, fabricado no município. A iniciativa, que tem à frente a Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado de Minas Gerais (Emater-MG), em parceria com a prefeitura municipal, a ONG Internacional Tecnoserve e outras instituições locais, além de produtores, foi implantada em julho de 2017, a partir da criação de uma mesa setorial.

"A mesa setorial, que funciona como um fórum coletivo de debates sobre a atividade, está trazendo ganhos aos produtores em capacitação técnica e motivação. Além disso, tem proporcionado aos consumidores produtos de alta qualidade gastronômica e mais seguros do ponto de vista sanitário”, explica o mentor do projeto, o extensionista agropecuário, Carlos Frederico Caldeira de Abreu. Segundo ele, as entidades trocam experiências e fazem um planejamento conjunto das atividades. “Isso promove a sinergia entre as ações e melhoram os resultados”, afirma.

Um exemplo de bons resultados desta gestão partilhada é o aumento do interesse dos produtores pela certificação do queijo, produto considerado estratégico no município, por ser melhor remunerado que o leite. De acordo Carlos Frederico, já são três produtores com queijos cadastrados no Instituto Mineiro de Agropecuária (IMA), 30 em processo de certificação e dez aptos à certificação.

Conquistas

Um avanço, segundo o extensionista agropecuário da Emater-MG, se considerarmos que o primeiro cadastramento do produto no IMA, em Conceição do Mato Dentro, aconteceu 15 anos após a existência do processo. Por isso, reforços a esse procedimento, junto ao órgão mineiro de inspeção sanitária, têm sido constantes, como no último dia 7/5, quando foi realizado mais um Dia de Campo sobre o tema.

Outras conquistas, após a adoção da mesa setorial que decide os rumos do setor queijeiro local, foram a integração entre programas de instituições parceiras, viagens técnicas para produtores do município à região da Serra da Canastra e ao município do Serro, cursos de boas práticas de fabricação do queijo Minas artesanal, de vaqueiro, de higiene na produção de leite e de inseminação artificial, entre outros.

A gestão compartilhada também já resultou na instalação de laboratório no posto agropecuário da prefeitura municipal, para realização de exames de brucelose e tuberculose; na realização de análises de solo e na compra conjunta de calcário; assim como a fundação da Associação Municipal dos Produtores de Queijo Serro de Conceição do Mato Dentro (AMPAQS-CMD); e a elaboração e execução do Programa de Desenvolvimento Rural Sustentável do Queijo Minas Artesanal, no município.

Conceição do Mato Dentro possui cerca de 100 produtores de queijo Minas artesanal. Destes, a metade tem se beneficiado diretamente pelas ações coordenadas da chamada mesa setorial, segundo o extensionista agropecuário Carlos Frederico. “O trabalho de gestão compartilhada tem facilitado o dia a dia das ações do escritório da empresa, pois substituiu a sobreposição de tarefas da cada instituição pela complementariedade e isso potencializou os resultados”, garante.

Reconhecimento

Os benefícios gerados pela implantação da mesa setorial foram reconhecidos pelo Prêmio Destaque MelhorAção do ano passado, conquistando o 1º lugar regional para o projeto do escritório da empresa, em Conceição do Mato Dentro. O escritório pertence à área de abrangência da unidade regional da Emater-MG em Diamantina.

O MelhorAção é uma iniciativa da Emater-MG que destaca ações e projetos de seus funcionários, que tenham obtidos bons resultados na rotina de trabalho da unidade e do cliente da empresa. O objetivo geral é valorizar os profissionais da casa, levando em conta os resultados individuais e em equipe e assim motivá-los para uma constante melhoria dos processos por meio de otimização, inovação e afazeres nas unidades regionais e da sede da empresa.

Enviar para impressão