BELO HORIZONTE (13/06/2019) – Uma visita guiada, organizada pela Secretaria de Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Seapa), em parceria com a CeasaMinas, levou produtores de flores de várias regiões do estado ao Mercado Livre do Produtor (MLP), na unidade da CeasaMinas em Contagem, nesta quinta-feira (13/6). No local vai ser inaugurado o Mercado de Flores, com previsão de funcionamento a partir de julho.

A visita é uma das etapas do trabalho realizado pela Secretaria da Agricultura, em pareceria com as instituições vinculadas (Emater-MG e Epamig) e a CeasaMinas, para implantar um ponto de comercialização de flores dentro do entreposto de Contagem. O MLP, também conhecido como Galpão do Produtor, ou “pedra”, é um espaço destinado, exclusivamente, ao produtor mineiro para comercializar de forma direta a sua produção, essencialmente hortifrutigranjeiros. A comercialização com o mercado atacadista é feita às segundas, quartas e sextas-feiras. Aos sábados, o espaço é aberto ao mercado varejista.

Segundo a assessora técnica da Seapa, Mariana Moreira Marotta, a implantação do Mercado de Flores foi uma demanda dos próprios produtores. “Estamos trabalhando nesse processo há mais de um ano, desde a construção do regulamento de uso do espaço, que já está aprovado pela CeasaMinas. Realizamos visitas aos mercados de São Paulo e Campinas, tradicionais polos produtores de flores do país, o treinamento dos orientadores de mercado e também uma webconferência com técnicos da Emater-MG e o grupo interessado para a apresentação de propostas para o trabalho. Foi quando surgiu a ideia da visita guiada para o conhecimento do espaço”, explica.

Com a abertura do ponto de comercialização, a expectativa é de fortalecimento da cadeia produtiva da floricultura no estado. No local, serão comercializados flores e folhagens de corte e plantas ornamentais para paisagismo (cortadas ou em vaso), no atacado e varejo. Durante a visita, os produtores foram acompanhados pela equipe técnica da CeasaMinas, que explicou o funcionamento do entreposto, os procedimentos para a entrada da produção nos dias de comercialização e tirou dúvidas.

Leonardo Rosa Loschi é floricultor no município de Barbacena há 15 anos. Por semana, são produzidos em sua propriedade 1,5 mil maços de Gypsophila, 300 maços de Lisianthus, além de 550 maços de dois tipos de folhagens (Avencão e Ruscus). Toda essa produção é comercializada em lojas atacadistas de Belo Horizonte. Ele vê com otimismo a abertura de mais um canal de comercialização. “É uma oportunidade de sair das grandes distribuidoras e comercializar a produção diretamente com os floristas e decoradores, eliminando a presença do atravessador. Vai facilitar muito ter um ponto de distribuição, onde o consumidor final vem diretamente até a gente”, afirma”.

Funcionamento

O Mercado de Flores funcionará, incialmente, às quintas-feiras, das 5 às 14 horas, no setor A do MLP, onde estão reservados 90 módulos de 6,5 metros quadrados cada. O valor a ser cobrado do produtor é de R$ 24,90 por cada ida. Há também a opção de utilizar o caminhão para expor os produtos, ao custo de R$ 52 por cada dia de comercialização. Poderão ser utilizados os dois espaços ao mesmo tempo, e os produtores também poderão marcar mais de uma área, dependendo do volume de mercadoria a ser exposto. De acordo com a assessora técnica da Seapa, Mariana Marotta, inicialmente, não está previsto rodízio entre os produtores. “A expectativa é de que com o crescimento do mercado tenhamos mais dias destinados à comercialização”.

Os produtores interessados em comercializar no local devem entrar em contato com o escritório da Emater-MG de seu município para retirar o Boletim Informativo de Produção emitido pelo órgão. Os técnicos também podem orientar sobre os outros documentos exigidos pela CeasaMinas para o cadastramento do produtor rural.

Atuação da Seapa no MLP

Após a federalização da CeasaMinas em 2000, o Estado, por meio da Secretaria da Agricultura, manteve a posse de bens e imóveis vinculados ao Mercado Livre do Produtor e considerados essenciais à política de abastecimento, por meio do Decreto nº 40.963/2000. A gestão do MLP também está dentro da competência da secretaria, que faz a delegação da gestão contábil, financeira, administrativa e operacional para a CeasaMinas, mantendo as prerrogativas de supervisionar, acompanhar e fiscalizar as atividades.