JUIZ DE FORA (18/7/2019) - O Minas Láctea 2019, encerrado nesta quinta-feira, 18 de julho, em Juiz de Fora apresentou resultados favoráveis na avaliação de expositores e organizadores. “Sempre usamos como parâmetro os números das edições anteriores e, em 2019, tivemos um crescimento de 20% no número de expositores e nos dois primeiros dias do evento cerca 25% mais participantes que em 2017. A expectativa é que os negócios prospectados também atinjam a meta inicial de R$200 milhões”, avalia o coordenador de Negócios do Minas Láctea, Antônio Nunes.

Antônio destaca também a diversificação da feira que traz alternativas para todo o setor, inclusive para os produtores de leite. “Muitos expositores trouxeram novidades para facilitar a adequação às instruções normativas do Ministério de Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) número 76, que trata das características e da qualidade do produto na indústria, e 77 que define critérios para obtenção de leite de qualidade e seguro ao consumidor e que englobam desde a organização da propriedade, suas instalações e equipamentos, até a formação e capacitação dos responsáveis pelas tarefas cotidianas, o controle sistemático de mastites, da brucelose e da tuberculose”, completa o coordenador.

Expondo pela quinta vez na Expomaq, a empresa catarinense FG IndMaq vendeu todos os equipamentos expostos e concretizou negócios para entrega após o evento. “Essa feira é bem focada no setor laticinista e desde nossa primeira participação trazemos novidades. Nesta edição apresentamos o nosso sistema de moldagem e resfriamento, que diminui a necessidade de mão-de-obra e estabelece um processo contínuo para a produção”, explica Tuana Dietrichi, diretora comercial da empresa.

Em sua primeira participação oficial, a empresa Transcalor de Diadema (SP) também concretizou vendas. “O volume de pessoas que participam desta feira é bastante qualitativo. Esse evento não só é de Minas Gerais é para o Brasil. Aqui eu atendi clientes de Mato Grosso, do Tocantins, do Rio de Janeiro e fechei negócios com participantes da Zona da Mata Mineira. Para mim, a Expomaq deveria ser anual e ter quatro dias para atendimento”, opina o proprietário Pedro Fort.

Também participando pela primeira vez, a empresa Bramak – Máquinas Envasadoras de Piracicaba, em São Paulo, obteve um grande retorno de prospecção. “Fizemos uma análise que apontou a Expomaq como um evento focado no público de laticínios, e é bastante interessante por ser bienal. Viemos para fazer contatos e já vendemos equipamentos. Na próxima edição queremos voltar em um espaço maior e mais atrativo”, disse Felício Granato, CEO da marca.

Antônio Nunes destaca o crescente interesse por novos espaços. “Das 36 empresas estreantes, um terço já demonstrou a intenção de ampliar os estandes. Temos também a procura de novas empresas e de expositores que não participaram neste ano e desejam retornar na próxima edição”, afirma.

Concurso Nacional de Produtos Lácteos

Na noite desta quinta-feira (18), durante o encerramento oficial do Minas Láctea, foram anunciados os três premiados em cada uma das onze categorias que compõe o Concurso Nacional de Produtos Lácteos (resultado anexo). Na categoria Destaque Especial, que premia produtos inovadores e ainda inéditos no mercado, os vencedores foram Flor Doce da marca Portão de Cambuí (1º lugar), queijo Linda Flor, da marca Cruziliense (2º), e o queijo Fruto do Amor, da Coopervap de Paracatu.