O governador de Minas Gerais, Romeu Zema, participou, na noite de terça-feira (3/9), da inauguração do Centro de Treinamento do Cooperativismo Mineiro, construído pelo Sistema Ocemg para ampliar as ações de capacitação da entidade. A unidade, que tem capacidade para receber 300 pessoas simultaneamente, atenderá as demandas do Sindicato e Organização das Cooperativas do Estado de Minas Gerais (Ocemg), órgão de representação política, sindical-patronal e de defesa do cooperativismo no Estado, e do Serviço Nacional de Aprendizagem do Cooperativismo de Minas Gerais (Sescoop-MG), responsável pelas atividades de formação profissional, monitoramento e promoção social das cooperativas de Minas.

Durante a solenidade, Zema salientou que o investimento em tecnologia e treinamento feito pelo setor contribui diretamente para a recuperação da economia mineira. “Dá para ver que é uma estrutura que está dentro do que há de melhor em termos de recurso de tecnologia e, com toda certeza, os frutos virão. Eu sempre acreditei que investir no ser humano é o melhor investimento. Sempre vi as cooperativas com ótimos olhos. Vindo para cá, eu estava comentando com a secretária Ana (Valentini, da pasta de Agricultura, Pecuária e Abastecimento) como esse setor é importante para o produtor rural. Nas regiões em que as cooperativas que dão apoio ao produtor rural estão bem estruturadas, a produção é muito mais dinâmica, robusta, a economia cresce muito mais. Temos vários exemplos disso em Minas Gerais. Então, o cooperativismo participa ativamente da economia do Estado. E o que o meu governo quer é exatamente isso”, afirmou.

O governador também ressaltou as medidas adotadas pela gestão para amenizar os impactos das dificuldades financeiras enfrentadas. “Temos dito que, apesar das dificuldades financeiras, naquilo que depende de gestão nós temos avançado muito. Nem tudo depende de dinheiro. Infelizmente, Minas está nesta situação falimentar, e vai demorar a sair dela. O que fizeram com o Brasil, tanto em nível federal quanto na maioria dos Estados, é quase uma pirâmide financeira em câmera lenta. Geralmente, as pirâmides financeiras estouram rapidamente, mas quando as contribuições são feitas para 30, 35 anos, e depois são resgatadas, você vai ter uma pirâmide que vai demorar mais tempo para estourar, como é o caso das aposentadorias. E a Reforma da Previdência veio para, de certa maneira, amenizar esse problema. Além disso, encontramos um Estado totalmente inoperante e desestruturado, mas depois de oito meses de gestão posso dizer que eliminamos a maioria das falhas e os resultados já podem ser vistos. Conto muito com o setor de cooperativas para dinamizar a nossa economia, que precisa crescer bastante”, disse.

Conforme o Sistema Ocemg, Minas Gerais possui, hoje, 771 cooperativas. Os dados divulgados em julho de 2019 mostram que o setor registrou crescimento pelo quinto ano consecutivo em 2018 e movimentou um total de R$ 53,6 bilhões – aumento de 14,9% em relação a 2017.

De acordo com o presidente da entidade, Ronaldo Scucato, o Centro de Treinamento do Cooperativismo Mineiro deve contribuir ainda mais para o crescimento, pois supre uma demanda das cooperativas. “Iniciamos um novo ciclo e apresentamos o marco de uma gestão pautada na profissionalização e capacitação. O Centro de Treinamento é um espaço para a disseminação da cultura cooperativista que, certamente, contribuirá para a inovação e desenvolvimento do segmento cooperativista em Minas”, finalizou.

Também participaram da solenidade o superintendente do Sistema OCB, Renato Nóbile, a secretária de Estado de Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Ana Valentini, a secretária de Estado de Desenvolvimento Social, Elizabeth Jucá, o deputado estadual Coronel Henrique, o vereador Maninho Félix, além de dirigentes de cooperativas e outras autoridades.

Crédito foto: Renato Cobucci/Imprensa-MG