BELO HORIZONTE (22/1/2020) - O livro “Natural enemiesofinsectpests in Neotropical agroecosystems” (“Inimigos naturais de pragas de insetos em agroecossistemas neotropicais”, em livre tradução) é uma das mais recentes publicações sobre controle biológico e biodiversidade funcional nas Américas Central e do Sul. O livro é uma organização das professoras da Universidade Federal de Lavras (Ufla), Brígida Souza e Rosângela Marucci, e do professor da Central UniversityofLas Villas, em Cuba, Luis Vázquez.

O livro apresenta uma série de aspectos relacionados à conservação e aumento de inimigos naturais de pragas. Na parte 1 são abordados os diferentes tipos de vegetação e mudanças climáticas e sua relação com o controle biológico. Já na parte 2 são discutidos temas como a bioecologia de grupos de insetos usados no controle biológico na América Latina.

A parte 3 é dedicada à produção em massa de inimigos naturais, enquanto a parte 4 descreve como esses insetos são usados para controlar pragas em algumas culturas. Por fim, a parte 5 relata experiências latino-americanas de integração de produtos biológicos em programas de manejo de pragas.

No total, a publicação reúne 42 capítulos divididos em mais de 500 páginas (para acessar o sumário completo, clique aqui). Entre os capítulos, a pesquisadora da Empresa de Pesquisa Agropecuária de Minas Gerais (Epamig) Sudeste, Madelaine Venzon, escreve sobre o uso de plantas espontâneas para controle biológico conservativo. Em seu capítulo, a pesquisadora traz uma parte teórica e outra com estudos de caso sobre como usar as plantas não cultivadas(mato) para atrair e manter inimigos naturais nas plantações.

“A técnica, chamada de controle biológico conservativo, consiste em usar plantas preferencialmente nativas para fornecer pólen, néctar, abrigo, enfim, tudo que é necessário para atrair e aumentar as populações de inimigos naturais”, destaca Madelaine.

Outros três pesquisadores das Epamig, lotados na unidade Sul, também têm capítulos publicados no livro. Lívia Carvalho escreve sobre plantas ornamentais, cada vez mais em alta em países da América Latina. Paulo Rebeles aborda os ácaros predadores para controle biológico de ácaros fitófagos, pragas que atacam diversas culturas. Por sua vez, Lenira Santa-Cecília escreve sobre o controle de pragas em culturas de frutas.

O livro pode ser adquirido em versão impressa ou ebook. Também há possibilidade de aquisição de capítulos separados. Para mais informações, basta acessar a página do livro no site da Springer Editora (clique aqui).

Ascom/Epamig

Foto: Divulgação/Epamig

Enviar para impressão