A Secretária de Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Ana Valentini, inaugurou, nesta quinta-feira (20/2), o primeiro Núcleo de Estudos e Projetos do Zoneamento Ambiental e Produtivo (ZAP), instalado no Campus da Universidade Federal de Viçosa (UFV), no município de Rio Paranaíba. A formação de núcleos da Metodologia ZAP nas instituições de ensino superior faz parte da estratégia da secretaria para aprimorar a metodologia.

O Zoneamento Ambiental e Produtivo é uma ferramenta que vem sendo aplicada para atender demandas da própria sociedade que tem buscado um maior conhecimento da situação geral das sub-bacias hidrográficas, com o objetivo de solucionar conflitos locais relacionados ao uso dos recursos hídricos ou implantar programas de desenvolvimento sustentável ou preservação ambiental. A ferramenta permite a realização de diagnóstico, viabilizando a sistematização das informações sobre seu potencial produtivo, levando em consideração as limitações do uso dos recursos naturais.

Segundo o assessor especial da Seapa, Luciano Baião Vieira, o trabalho de parceria com as instituições de ensino superior é uma forma de atender às necessidades de aprimoramento contínuo da ferramenta nos aspectos técnicos e ambientais, além de viabilizar a atualização das bases de dados que alimentam o programa de georreferenciamento. “Nossas investidas nessas instituições servem para que a metodologia possa ser abordada dentro das universidades nas áreas do ensino, pesquisa e também da extensão”, explica.

De acordo com a secretária, a sustentabilidade nos processos produtivos da agricultura é uma das grandes preocupações e prioridades no Governo. “Com este núcleo, essa ferramenta tão importante será mais difundida. Os alunos terão contato, aprenderão a trabalhar com ela e isso trará – não só para a região, mas para todos os locais onde estes alunos forem no futuro – essa percepção da importância de se aliar a preservação ambiental com a produção agropecuária”, destaca Ana Valentini.

Equipe

O Núcleo de Estudos e Projetos do ZAP em Rio Paranaíba é formado por uma equipe multidisciplinar com professores e estudantes de pós-graduação, treinados pela equipe da Seapa para aplicar a metodologia. Composto por seis módulos e com duração de aproximadamente quatro meses, o treinamento para aplicação do ZAP foi feito na Bacia Hidrográfica do Ribeirão Olhos D’Água.

“Durante o estudo nós mapeamos algumas áreas onde existia atividade do homem afetando alguns córregos. Foi muito importante, pois permitiu que estudássemos uma área próxima do nosso campus, onde faremos ações de melhoria de recomposição de mata e, também, por se tratar de uma área estratégica para o abastecimento do lençol freático de toda a região”, pontua Renato Ruas, diretor-geral do campus da UFV no município.

O estudo em questão já foi entregue ao Comitê Gestor do ZAP, que tem 30 dias para fazer a avaliação do material. Após a aprovação, as informações da bacia hidrográfica são disponibilizadas nos sites das secretarias de Agricultura e do Meio Ambiente. Além da equipe técnica, o Núcleo de Estudos e Projetos dispõe de escritório próprio, com infraestrutura necessária (computador, impressora, mobiliário) para a realização das pesquisas.

“Esse núcleo é muito importante pois representa uma parceria muito sólida com a Seapa. Nessa fase de crise e incertezas financeiras, estamos valorizando muito a consolidação desse núcleo, que vai se comunicar com todos os cursos que oferecemos”, acrescenta Ruas.

Este trabalho para o aprimoramento da metodologia ZAP também é desenvolvido em parceria com a Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri (Diamantina) e com a equipe da UFV do Campus de Viçosa. A equipe da Seapa também iniciou contatos com o Instituto Federal Sul de Minas (Machado).

A solenidade contou com a presença do reitor da UFV, professor Demetrius David da Silva; do prefeito de Rio Paranaíba, Valdemir Diógenes da Silva; de diretores, professores e alunos da universidade; dirigentes das empresas do sistema da Agricultura (Emater-MG, Epamig e Instituto Mineiro de Agropecuária - IMA) e autoridades locais.

Grupo 

Cumprindo agenda na região do Alto Paranaíba, a secretária Ana Valentini também visitou a sede do grupo Sekita Agronegócio, no município de Rio Paranaíba. A história do empreendimento se iniciou na década de 70, por meio do Programa de Assentamento Dirigido ao Alto Paranaíba (Padap), uma estratégia de governo que buscava expandir fronteiras agrícolas e integrar o cerrado ao processo produtivo.

Durante a visita, a secretária Ana Valentini conheceu as instalações da empresa

Atualmente, o grupo Sekita é um dos principais produtores nacionais de cenoura, alho, beterraba e repolho. O empreendimento também se destaca na produção de leite, com mais de 1,7 mil vacas em lactação e produção diária de 70 mil litros.

Acompanhada pela diretoria do empreendimento, a secretária visitou a sala de ordenha mecanizada e conheceu o processo de aproveitamento dos resíduos da pecuária leiteira nas lavouras, como a produção de composto orgânico e o funcionamento do biodigestor. Além de sustentável, o processo de reaproveitamento de resíduos aumenta a rentabilidade de todo o negócio.

Márcia França - Ascom / Seapa

Foto: Seapa / Divulgação

Enviar para impressão