As conquistas e perspectivas da agroecologia no Brasil estão presentes no livro digital “Pesquisa em Agroecologia”, publicação do Simpósio de Pós-graduação em Agroecologia (Simpa) da Universidade Federal de Viçosa (UFV). O livro reúne 23 capítulos com textos sobre manejo de agroecossistemas tropicais; sistemas agroalimentares de agricultores familiares; e processos físicos, biogeoquímicos e dinâmicas de recursos em agroecossistemas. O download do livro é gratuito (clique aqui).

De acordo com os editores técnicos, os temas dos artigos são frutos dos enfrentamentos diários da pesquisa em agroecologia com foco na resolução sustentável de problemas da agricultura. O material, com mais de 400 páginas, traz resultados de pesquisas voltadas para a preservação de recursos naturais, valorização de culturas locais, garantia da soberania e segurança alimentar e nutricional, além do direito humano à alimentação adequada. 

A Empresa de Pesquisa Agropecuária de Minas Gerais (Epamig) participa da obra com a publicação de dois capítulos. A pesquisadora da empresa, Madelaine Venzon, em parceria com outros autores, fala dos usos de insumos alternativos para o manejo de pragas na agricultura.

Madelaine explica que um dos principais desafios da produção agrícola mundial está relacionado à incidência de pragas nas lavouras. Contudo, o uso constante de inseticidas químicos sintéticos é acompanhado diretamente pela evolução da resistência de insetos e ácaros aos diferentes princípios ativos dos produtos, o que torna esse modelo industrial insustentável em longo prazo.
“O capítulo sintetiza diversos resultados de pesquisas conduzidas em projetos coordenados por mim que visaram a avaliação da eficiência, fitotoxicidade e inocuidade de produtos alternativos aos agrotóxicos para o controle de pragas. Além disso, o texto apresenta as bases teóricas para a utilização desses produtos e a legislação vigente, voltada para o uso na agricultura orgânica. O capítulo conta com a parcerias de meus orientados, estudantes da UFV, além de professora da UFV e professor da UnB”, destaca Madelaine.

Por sua vez, a pesquisadora da Epamig, Waldênia Moura, em parceira com outros autores, fala de cultivo orgânico de café arábica e conilon. A pesquisadora explicita que a cafeicultura orgânica no mundo tem superado recordes a cada ano. Entre 2004 e 2017 a área cultivada aumentou em cinco vezes, um salto de 176 mil para mais de 890 mil hectares. Entretanto, o cultivo orgânico de café representa apenas 1,3 % das áreas agrícolas com sistemas orgânicos. O artigo de Waldênia vem para incentivar a cafeicultura orgânica no Brasil. Para isso, a autora apresenta a legislação para a implantação de sistemas de base agroecológica e modos de condução das lavouras.

“O primeiro passo para a produção de café em sistemas de base agroecológica é conhecer os princípios e as normas de produção. O segundo é planejar as atividades a serem realizadas, que variam de acordo com a forma do manejo a ser adotado. A Epamig e outras instituições de ensino e pesquisa têm contribuído bastante para o desenvolvimento de tecnologias para a cafeicultura de base agroecológica”, conclui Waldênia.

Ficha técnica do livro digital (e-book):

Nome: Pesquisa em Agroecologia: conquistas e perspectivas

Editores técnicos: Davi Lopes do Carmo, Djalma Silva Pereira, Elizangela da Silva Miguel, Sílvia Oliveira Lopes, Silvia EloizaPriore

Editora: Fundação Arthur Bernardes

Cidade: Viçosa (MG)

Número de páginas: 416

Link para download gratuito: http://bit.ly/3bOmq1h

Ascom Epamig

Foto: Divulgação/Epamig